Artigo de Mário Luis Pessôa Guedes – Biólogo, Professor e Coordenador de Curso na FACOP

Sempre temos a impressão que no inverno os insetos aparecem com menos frequência em nossas residências e trabalho, e isso não necessariamente é uma verdade. Durante o período mais frio do ano não podemos descuidar do controle de pragas urbanas.

Até agora, o estado do Paraná registrou um maior número de casos de dengue em relação ao mesmo período do ano passado. E este número está aumentando, já são mais de setenta municípios do Estado estão em epidemia de dengue, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa – PR), divulgado recentemente. Isso quer dizer que os insetos e, neste caso o mosquito Aedes aegypti, está se reproduzindo livremente por aí.

Vale lembrar que o mesmo mosquito pode transmitir a dengue, zika e chikungunya e para diminuir o número de casos é preciso combater e eliminar os criadouros de mosquitos. Esta tarefa depende diretamente de todos nós, verificando os objetos que possam acumular água e virar criadouro para o mosquito, como por exemplo, vasos de plantas, baldes, pneus, garrafas devem ser esvaziados e limpos.

Assim como os mosquitos, outros insetos, aracnídeos e roedores se proliferam nas cidades e oferecem riscos à saúde humana. Estes pequenos animais estão nas cidades e provocam danos à saúde, podendo causar acidentes, estragar alimentos, objetos e transmitir doenças. Algumas baratas, roedores, aranhas, formigas, pulgas, cupins e moscas são considerados pragas urbanas e controlar a sua proliferação é uma das atividades em saúde de maior relevância para garantir a qualidade de vida.

Apesar de existir inúmeras receitas caseiras, produtos sem registro de fácil acesso, o controle destas pragas compete a empresas qualificadas e profissionais capacitados, porque necessita de métodos, técnicas, produtos e equipamentos adequados, pois garante a saúde e segurança dos usuários, dos trabalhadores e minimiza o impacto ao meio ambiente, decorrentes do uso abusivo e indiscriminado de produtos químicos para este fim.

Para o controle e manejo de pragas urbanas devemos caracterizar dois principais aspectos: trata-se de uma questão de saúde pública, uma vez que os insetos e outras pragas são vetores de inúmeras doenças; e tem relação com a economia, porque é por meio desse serviço que outros setores garantem, a qualidade e a sanidade de seus produtos e serviços. A sociedade, como um todo, depende desta atividade, como o comércio e indústria de alimentos, de medicamentos, os serviços de hospedagem e até a construção civil.

No estado do Paraná, desde 2015 (Resolução nº 374/2015 da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná), possuímos legislação específica para a prestação destes serviços de manejo e controle de pragas urbanas, que somente poderá ser executado por empresas especializadas, devidamente habilitadas e com funcionários capacitados para a atividade.

Sempre que precisarmos contratar estes serviços, devemos verificar a  regularização da empresa, que deve seguir, dentre outras conformidades, normas desde sua edificação, com lugares adequados para estoque e manipulação de produtos químicos, guarda de equipamentos e materiais; possuir um profissional habilitado de responsabilidade técnica; deve fornecer uniformes e equipamentos de proteção individual de acordo com as atividades executadas e estabelecer um rígido programa de treinamento dos funcionários  para capacitá-los a exercer com segurança as suas funções, tanto em situações rotineiras como em situações de emergência.

Segundo a Associação Brasileira de Controle de Vetores e Pragas, existem alguns critérios a serem considerados para contratar uma empresa para o serviço de controle e manejo de pragas urbanas:

  • A empresa possui registro nos órgãos reguladores?
  • A empresa possui um responsável técnico?
  • Não aceite orçamentos sem visita. Isso porque o técnico precisa verificar o nível da infestação de pragas no seu ambiente e a partir dessa visita, identificar a melhor forma de combate.
  • O preço não pode variar durante a execução do trabalho.
  • Preço baixo não é sinônimo de qualidade. Serviços de qualidade possuem o seu valor, pois são realizados por profissionais treinados e capacitados, que devem seguir um plano de ação e utilizar apenas produtos de primeira linha.
  • Sempre peça a nota fiscal, que é a garantia da execução dos serviços.

É possível ressaltar que a atividade do controle de pragas é para a manutenção da saúde e da segurança das pessoas e, portanto, um aspecto muito importante que precisa dedicação é a capacitação dos profissionais que atuam nessa atividade, para que saibam trabalhar com ciência e consciência, equipamentos de proteção adequados e sobretudo, técnicas eficientes e eficazes.

 

Referências:

http://www.saude.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=6703&tit=Mais-casos-de-mortes-por-dengue-no-Parana

http://www.dengue.pr.gov.br/arquivos/File/BoletimDengue39_2019.pdf

http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/_Resolucao2015/Resolucao3742015.

http://www.abcvp.com.br/

 

Crédito da imagem: https://br.freepik.com/vetores-gratis/cartaz-liso-da-propaganda-do-tratamento-interior-do-controlo-de-pragas_4017214.htm

Visits: 106